terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Jovem cristão é preso no Egito por ridicularizar Maomé no Facebook

"Jovem do Egito postou desenhos de Maomé no seu perfil"

O estudante de 17 anos, Gamal Massoud, que é um cristão copta, postou desenhos de Maomé na sua página do Facebook. Muitos de seus colegas de escola viram isso como zombaria da imagem do venerado profeta islâmico. Ele acabou detido sob a acusação de profanar um símbolo sagrado.

O adolescente argumenta que ele não postou as imagens, mas que alguém usou sua conta do Facebook sem o seu conhecimento. Mesmo assim, Massoud permanecerá sob custódia da polícia por quatro dias, e pode ter de responder no tribunal as acusações de “desprezo pelo Islã”, que poderá, em caso extremo, condená-lo à morte.

A prisão do estudante causou tumultos em Assuit, sul do Egito, onde muçulmanos atacaram a casa da família Massoud e também a residência de outros cristãos. Membros do exército foram designados para ir até a cidade prevenir vandalismo e acaram tendo de usar bombas de gás lacrimogêneo contra os manifestantes muçulmanos.

Este é apenas mais um capítulo em quase de um ano de perseguição religiosa constante no Egito. Desde o início a revolta que derrubou o presidente Mubarack, em fevereiro, o país tem testemunhado um êxodo em massa dos cristãos. Calcula-se que 93 mil cristãos já saíram do país.

Segundo observadores internacionais, os muçulmanos radicais tem feito ataques para ganhar influência política e ter o apoio da maioria dos egípcios.

O confronto mais violento entres os fieis das duas religiões foi em 9 de outubro de 2011, no que ficou conhecido como “o Massacre de Maspero”. Cristãos coptas fizeram uma marcha pacífica no Cairo, em protesto contra a queima de uma igreja copta no sul do país, quando oficiais militares passaram com tanques no meio da multidão, matando 27 pessoas. Mesmo com manifestações de repúdio em todo o país, apenas três soldados foram acusados ​​de “homicídio involuntário”.

A organização de direitos humanos Iniciativa Egípcia pelos Direitos Pessoais afirmou em nota que “o tribunal militar ignorou os 14 cristãos baleados, incluindo Mina Daniel. Apenas três soldados foram acusados ​​de homicídio culposo. Isso não demostra que houve o mínimo de garantias de seriedade e de justiça nesse julgamento. É uma continuação da tendência dos militares de negar qualquer responsabilidade pelo crime”.

Fonte:  http://noticias.gospelprime.com.br/adolescente-cristao-e-preso-no-egito-por-ridicularizar-maome-no-facebook/

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Jerusalém: cristãos locais podem estar quase extintos em 30 anos

"Igreja e mesquita na região central de Jerusalém"

VIVIANE VAZ
Direto de Jerusalém

Os cristãos são hoje minoria na cidade sagrada para as três grandes religiões monoteístas do mundo (cristianismo, judaísmo e islamismo). Dos cerca de 800 mil habitantes, a cidade conta com apenas 14,6 mil moradores cristãos. É o que demonstrou esta semana um relatório preparado pelo Instituto para Estudos de Israel de Jerusalém. O estudo, intitulado "Cristãos e Cristianismo em Jerusalém", mostra que no final do mandato britânico na Terra Santa, em 1946, os cristãos representavam 19% da população total da cidade. Hoje são apenas 1,9%, e podem dimuir ainda mais nas próximas décadas.

"A maior razão para a queda no número de cristãos nos últimos 65 anos é o resultado da guerra de 1948, quando não só os britânicos e a maioria dos cristãos europeus que moravam na cidade se retiraram, mas também um número significativo de residentes árabes cristãos", explica o israelense Amnon Ramon, responsável pelo estudo. Quando houve o confronto entre entre judeus israelenses e árabes muçulmanos palestinos, muitos cristãos decidiram deixar a cidade.

Depois, com o fim da guerra dos Seis Dias, em 1967, o número começou a se estabilizar, mas se manteve baixo. Em setembro daquele ano havia 12,9 mil cristãos. Em 1988, o número chegou a 14,4 mil, próximo à cifra atual. A porcentagem de adeptos do cristianismo em relação ao total da população diminuiu de 2,9% em 1988, para 1,9%, no fim de 2010. Amnon explica que o resultado se deve à baixa taxa de natalidade entre cristãos e a ausência de imigração cristã para Jerusalém. "Tememos que em 20 ou 30 anos quase não haja cristãos locais (nascidos de famílias de Jerusalém)", alerta.

A grande maioria hoje ainda é composta por árabes. De acordo com o Departamento de Estatísticas de Israel, até o fim de 2010, do total de cristãos havia 11.576 árabes e 3.029 de não árabes. O segundo grupo é formado principalmente por imigrantes da ex-União Soviética, refugiados de origem sudanesa e eritreia, habitantes de origem armênia, trabalhadores estrangeiros.

A alemã Meike Schmidt, 29 anos, vive há quatro anos em Jerusalém e trabalha em uma organização religiosa na cidade antiga. "A grande diferença de ser cristão em Jerusalém é não vermos nossas tradições e costumes à nossa volta, como em outros países - a menos que você viva dentro da cidade antiga, no bairro cristão", conta. Meike, porém, não sente atrito entre as distintas comunidades religiosas, porque considera que seus adeptos vivem separados, cada um "para seu lado, observando seu estilo de vida".

Apesar do baixo número de moradores cristãos em Jerusalém, o relatório indica que a presença do cristianismo na cidade ainda é "fisicamente proeminente" e se faz notar pelo grande número de turistas cristãos e pelas construções arquitetônicas espalhadas pela cidade - igrejas, monastérios, hospitais e escolas. Uma pesquisa do ano 2000 citada pelo informe recorda que há 117 instituições cristãs na Cidade Antiga e no Monte Sion; dentre elas, 20 são orgãos educacionais. No turismo, entretanto, os cristãos são maioria. Em 2010, 66% dos turistas se identificaram como cristãos e 30%, judeus.

Amnon é praticante do judaísmo e tenta chamar a atenção dos israelenses sobre a contribuição dos cristãos para a paisagem da cidade. "Trata-se de um grupo importante e sua presença colabora para o cenário de tolerância religiosa e democracia no país, além da economia", alerta. O especialista reconhece que a vida dos cristãos no Oriente Médio não tem sido fácil e exemplifica o aumento de setores radicais do Islã, que tratam não-muçulmanos como cidadãos de segunda classe ou com violência - como ocorreu no Egito, Gaza, Síria e Iraque. Amnon preocupa-se ainda com judeus ultra-ortodoxos que procuram impor regras para que Israel tenha caráter mais religioso e menos democrático.

"O Cristianismo foi o alto-falante que espalhou o caráter sagrado de Jerusalém ao redor do mundo e a tornou uma 'cidade global'", ressalta Amon, que também ensina Religião Comparada na Universidade Hebreia de Jerusalém. "O desaparecimento das comunidades cristãs e as igrejas do panorama da cidade e de seu subúrbio seria um golpe severo ao charme da cidade e ao seu caráter especial, sem paralelos no mundo", conclui o pesquisador.


sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Garota de 9 anos ilustra capa de livro católico

"Débora e seu desenho na capa do livro catequético"

Débora Lúcia Fonseca tem 9 nove anos e já pode ser considerada evangelizadora de crianças com a ilustração que ela produziu, para ser utilizada no livro da Novena de Natal 2011.

Filha de Zenaido Lima da Fonseca e Elmira Lúcia, aos 3 anos Débora ficou em 1º lugar no concurso de desenho infantil do Banco Itaú, informou a mãe. Para desenhar a capa do livro da novena de Natal para crianças, a garota não teve trabalho, segundo o pai, “saiu de primeira”.

Vice-coordenador da equipe de elaboração da Novena de Natal, Zenaido recebeu incentivo de Pe. Almerindo, no qual, pediu que ele produzisse a capa do livro oficial para adultos.

“Sabendo de suas habilidades, pedi a ele que elaborasse uma capa e a gente enviaria para a aprovação do bispo. Assim aconteceu. Ele produziu vários modelos e o bispo escolheu esta que saiu e assim ficou.” Informa Pe. Almerindo, coordenador da equipe de elaboração da Novena.

Além do pai, a filha também foi lembrada pelo pároco, no qual repetiu o convite para o pai, ao mesmo tempo que, valorizava a família arcoense na produção da capa da revista.
“Quanto à participação da sua filha Débora na Novena, aconteceu da mesma forma. Sei que ela tem uma capacidade muito grande. Então pedimos a ela para desenhar algo sobre o Natal para ser uma sugestão da capa e assim ela fez. Ficou tão legal que imediatamente aprovamos.” Elogia.

A Novena para crianças segundo Pe. Almerindo, que também atua como assessor diocesano da Pastoral Catequética, aconteceu pela primeira vez na diocese e Luz e foi utilizada especificamente com as crianças da Catequese. Ele analisa o trabalho de forma positiva: “A experiência foi boa. “Ainda não tinha acontecido esta experiência na diocese, de ter uma novena específica para a catequese. E, graças a Deus deu certo.”

Segundo Zenaido, após a participação na ilustração do livro da novena de Natal 2011 que foi distribuído para toda diocese de Luz, (cerca de 45 cidades), Débora já deu um salto na evolução de seus desenhos. A menina agora começou a desenhar Mangás, influenciada pelo curso que viu em uma revista sobre a técnica do desenho japonês.

Ela fala que quando crescer quer ser desenhista, mas enquanto a hora não chega, ela continua colocando em prática o dom que Deus lhe deu. “Sempre gostei de desenhar, quero continuar desenhando e utilizando este dom nos meus trabalhos da escola.” Afirma.


quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Bispos querem ajuda para proteger católicos de seita islâmica

"Perseguição e atentados contra católicos no norte da Nigéria"

Os católicos do norte da Nigéria se preparam para o fim do ultimato dado pela seita islâmica Hoko Haram, que deu ontem três dias para eles deixarem o norte do país. No sábado, o presidente Goodluck Jonathan decretou estado de emergência em várias regiões, fechou fronteiras, mas o Boko Haram disse que vai resistir às tropas governamentais.

Boko Haram quer dizer "a educação ocidental é um pecado". Esse grupo fundamentalista islâmico nigeriano diz se inspirar no movimento talibã afegão e quer expulsar os católicos para o sul. O norte da Nigéria é pobre e de maioria muçulmana; o sul é rico e de população majoritariamente católica e animista.

Com medo de que o Exército não dê conta de defendê-los, os católicos declararam que vão recorrer à autodefesa para se proteger da violência inter-religiosa. Os bispos da Nigéria pediram ao presidente nigeriano que peça ajuda a especialistas no exterior para dar suporte às forças de segurança no combate aos islamitas.

Especialistas da região temem que a decretação do estado de emergência para combater os extremistas acabe dando cobertura ao Exército para praticar abusos. No passado, uma unidade de soldados formada para combater o grupo Boko Haram foi acusada de matar civis injustamente e de queimar moradias de supostos simpatizantes dos extremistas islâmicos. Segundo especialistas, a violência por parte dos soldados levou muitos nigerianos a apoiar os extremistas contra os militares.

Alta dos combustíveis gera protestosPrimeiro produtor de petróleo na África, a Nigéria enfrenta uma onda de protestos contra a alta nos preços da gasolina. Uma nova lei que entrou em vigor no dia 1° de janeiro suprimiu os subsídios do governo aos combustíveis, o que duplicou o preço do litro de gasolina.

Hoje, a polícia interveio contra manifestantes que queimavam pneus em Lagos, lançando bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os protestos. Manifestantes também foram detidos pela polícia na cidade de Kano, no norte do país.


quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Como a Igreja Católica está presente na Amazônia?

"Dom Luiz Soares Vieira e a Igreja Católica na Amazônia"

Manaus (RV) - A Arquidiocese de Manaus apresentou na última semana aos fiéis uma imagem
de Nossa Senhora e do menino Jesus com traços indígenas. Chamada Nossa Senhora da Amazônia, a imagem foi feita pela designer Lara Denys, 23 anos, vencedora do concurso promovido pela arquidiocese para retratar a santa com "características da cultura da região amazônica".

Na imagem, Nossa Senhora e Jesus têm cabelos e olhos pretos e pele parda. O manto do menino está preso ao corpo dela do mesmo modo em que as índias carregam seus filhos.

Segundo o coordenador do concurso, Padre Reneu Stefanello, será construída a sua estátua no santuário, com forma de canoa, que está sendo erguido em Manaus. “Ela tem os traços da feminilidade da mulher amazonense, da mulher indígena, trazendo no colo um Jesus curumim” - afirma ele.

A RV conversou com o arcebispo de Manaus, Dom Luiz Soares Vieira, sobre a presença da Igreja Católica na região amazônica, onde as seitas pentecostais têm grande penetração.

“Nós temos a presença forte da Igreja Católica em algumas populações indígenas. Em Roraima, por exemplo, a Igreja está presente em praticamente em todos os povos indígenas. Aqui no Amazonas, temos a presença dos Salesianos no Alto Rio Negro, que é a região mais indígena do nosso estado, e no Alto Solimões, estão os capuchinhos. Então, realmente procuramos estar presentes com os caboclos, ribeirinhos, habitantes da floresta. Temos um trabalho de comunidades espalhadas por toda a região. É um trabalho complicado pelo fato de que as distâncias são enormes e são percorridas com barcos, mas estamos lutando realmente para que nosso povo preserve a sua fé e viva sua fé, e possamos construir um mundo como Deus deseja. Cidades como Manaus, Belém, e Porto Velho, muito grandes, têm seus problemas, com suas periferias e tudo mais. Nelas também se faz um trabalho grande e temos tido, Graças a Deus, o apoio de outras dioceses do Brasil. Tenho recebido muita ajuda de pessoal tanto religiosos como padres também. Vamos, então, construindo o Reino de Deus, que é o mais importante”.

Dom Luiz explica também o porquê de Igreja ter querido uma Nossa Senhora com traços tão locais.

“É uma imagem muito nossa, que segue o esquema. Tempos, por exemplo na África, várias representações de Nossa Senhora como uma africana. No Japão, a mesma coisa, na Índia também. Então, é um pouco o aspecto da inculturação da fé, quer dizer, ver a fé através dos olhos culturais do povo”. (CM)


terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Criado Ordinariato Católico para ex-anglicanos nos EUA

"Anglicanos convertidos ao catolicismo recebem ordinariato nos EUA"

Cidade do Vaticano (RV) - O Vaticano criou neste domingo o primeiro Ordinariato pessoal para reverendos anglicanos convertidos ao catolicismo nos Estados Unidos.

A autorização foi emitida pela Congregação para a Doutrina da Fé com a Constituição Apostólica Anglicanorum Coetibu, que erigiu o Ordinariato Pessoal que irá operar nacionalmente no território da Conferência Episcopal dos Estados Unidos.

O reverendo Jeffrey Neil Steenson, de 59 anos, será o coordenador. Ex-bispo, ele tem uma esposa e três filhos e foi ordenado sacerdote católico em 2009, após ser admitido na Igreja Católica em 2007.

O Ordinariato equivale juridicamente a uma diocese e é formado por fiéis leigos, clérigos e membros da vida apostólica, e está sujeito à Congregação para a Doutrina da Fé e aos demais dicastérios da Cúria Romana, segundo a Constituição vaticana.

A Constituição Apostólica Anglicanorum Coetibu foi assinada por Bento XVI em 4 de novembro de 2009 após pedidos enviados por grupos de ministros e seguidores do anglicanismo que desejavam “entrar na plena e visível comunhão com a Igreja Católica”, desde que pudessem manter “elementos específicos do patrimônio espiritual e litúrgico anglicano”.

O Vaticano criou a primeira destas organizações na Inglaterra, no ano passado. Outras estão sendo avaliadas para serem abertas na Austrália e no Canadá.

A Constituição permite que os anglicanos que se tornarem católicos possam conservar parte de suas tradições na liturgia e na espiritualidade. Os pastores anglicanos casados que se converterem poderão continuar casados e ser ordenados na Igreja Católica, uma exceção à regra do celibato do Vaticano. Mas os bispos anglicanos casados que se converterem não poderão manter esta posição e servirão a Igreja Católica como padres. (CM)

Fonte: http://www.oecumene.radiovaticana.org/bra/articolo.asp?c=551264
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...