sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Cardeal Bertone apresentou o novo regulamento da Prefeitura para os Assuntos Econômicos da Santa Sé

Vaticano em busca de transparência na administração financeira.


Foi nesta terça-feira (dia 18) apresentado o novo regulamento da Prefeitura para os Assuntos Econômicos da Santa Sé. Coube ao Secretário de Estado, Cardeal Tarcísio Bertone, a missão de apresentar as novas disposições, que assumem especial importância em ordem a assegurar a máxima transparência na administração dos recursos financeiros no Vaticano.



O Cardeal Bertone fez notar, desde logo, que a Igreja sempre considerou os bens temporais como meros instrumentos apenas necessários para o desenvolvimento da missão da Igreja, citando a propósito o próprio Direito Canônico  Recordou assim as principais componentes dessa missão: as obras de apostolado, as obras de caridade, o sustento do clero e o culto divino. A Igreja por si só não possui bens mas sim através dos múltiplos membros que a compõem. Daí a importância da Prefeitura para os Assuntos Econômicos que viu agora reformulado o seu regulamento.

Foi Paulo VI a querer que, na Cúria Romana por si reformada, existisse um departamento para a gestão dos assuntos econômicos da Santa Sé. Esse departamento teria funções muito específicas: "conhecer, controlar, vigiar e coordenar todos os investimentos e operações econômicas mais importantes da Santa Sé". No espírito do Papa Montini havia o desejo de modernizar todo o trabalho desenvolvido com o objectivo fundamental de assegurar à Igreja um aspecto essencial para a sua própria existência -o da sua auto-suficiência econômica.

Contudo, no passado recente, segundo o Cardeal Bertone, a Prefeitura "tinha-se transformado numa espécie de central de contabilidade da Santa Sé, ficando ofuscados os seus deveres de programação e coordenação econômica geral”. Com o novo regulamento volta-se ao espírito originário da sua constituição. Assim, a Prefeitura para os Assuntos Econômicos transforma-se numa entidade superior em relação às diversas e específicas administrações existentes no Vaticano, tendo, para o efeito, uma relação directa com a Secretaria de Estado com a qual deverá desenvolver as linhas de “orientação e programação”.

O novo regulamento, promulgado em fevereiro passado, surge no período em que a Santa Sé decidiu adequar-se às normas internacionais de controlo financeiro. Por conseguinte, o Vaticano deve assegurar “a necessária transparência das suas atividades econômicas e financeiras”, o que exige um empenho cada vez mais incisivo e coordenado de correção da parte de cada uma das administrações na gestão do patrimônio e das atividades econômicas. A concluir o Cardeal Bertone recordou ainda que num período de crise financeira internacional também a Santa Sé deverá reduzir gradualmente as suas despesas. “É mais do que nunca necessário que cresça em todos a consciência do dever de sustentar não só a missão da Igreja e da Santa Sé, mas também a sua credibilidade”.

Para ilustrar as funções da Prefeitura para os Assuntos Econômicos da Santa Sé à luz do novo Regulamente terá lugar amanhã, quinta-feira (dia 20), na Sala de Imprensa da Santa Sé, um briefing com os jornalistas. Intervirão o Presidente, o Secretário e o Contabilista Geral da Prefeitura para os Assuntos Econômicos da Santa Sé, respetivamente o Cardeal Giuseppe Versaldi, Mons. Lucio Vallejo Balda e o Dr. Stefano Fralleoni.

Fonte: http://pt.radiovaticana.va/Articolo.asp?c=648817

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...