sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Igreja quer interdição de rua no Centro de Ribeirão

Rachaduras em coluna da igreja preocupa os fiéis.

Logo na entrada, nos arcos dos dois primeiros pilares que sustentam a igreja Catedral de São Sebastião, em Ribeirão Preto, é possível ver as rachaduras que serpenteiam até as imagens de anjos pintados. Por conta do problema, os padres pedem que a rua Florêncio de Abreu, entre a Visconde Inhaúma e Tibiriçá, seja fechada, como já foi até a década de 1960. A suspeita é que o grande fluxo de veículos estejam abalando as estruturas da igreja.

Para comprovar o que provocou as rachaduras, a igreja financia um laudo técnico. Segundo a Transerp, nos horários de pico, por hora passam 1,5 mil veículos. O laudo, feito por uma empresa de São Paulo, deve ficar pronto na próxima semana. "Nós pedimos essa análise em março deste ano, quando percebemos que as rachaduras continuavam ocorrendo. Foi dito que pode ser o trânsito, como pode ser infiltrações, por causa da mudança nos arredores da igreja, com a colocação de um jardim", explica o padre Carlos Eduardo Tibério.

Há 14 anos, a Catedral teve a pintura retocada e foi feita uma amarração na estrutura para que abalos do tipo fossem evitados. "Nossa preocupação é não deixar que o problema se agrave. Não há riscos para os fiéis, mas a parte da entrada da igreja, que fica de frente para a Florêncio de Abreu, é a mais prejudicada", explica o padre.

No teto do altar, as rachaduras também são perceptíveis, mas menores. Do lado esquerdo da entrada, e na janela também há rachaduras. Já a escadaria da Catedral tem um desnível. "Além de o trânsito poder comprometer a estrutura, existe o risco do fiel que tropeça e cai do degrau ir parar direto na rua e, como passam carros a todo momento, o acidente pode ser grave", explica Tibério.

Maria Aparecida Alvez Teixeira Lima, 60 anos, diz que concorda com o fechamento da rua em frente à Catedral, que tem inclusive um ponto de ônibus. "A igreja faz parte da história da gente, inclusive da minha e se for para preservar, acho importante", afirma.

Outro lado

Em nota, o setor de comunicação da Transerp diz que o assunto será analisado por órgãos competentes.

Padre também pede mais segurança

Outra reivindicação do padre Carlos Eduardo Tibério é a colocação de dois guardas municipais na praças da Catedral e também na Praça das Bandeiras. "A praça foi reformada há dois anos e já está vandalizada. O problema com usuários de drogas é intenso e com prostituição também", afirma o padre.

Segundo ele, a presença dos agentes de segurança ajudaria a inibir até os problemas de roubos das ofertas depositadas na caixinha da igreja pelos fiéis. "A presença da polícia ajudaria a por ordem na casa."

Monitoramento
O superintendente da Guarda Civil Municipal, André Tavares, diz que há patrulhamento diário no local e uma base da PM (Polícia Militar) próxima. Além disso, monitoramento por câmeras também existe na região.

Fonte: http://www.jornalacidade.com.br/editorias/cidades/2012/11/14/igreja-quer-interdicao-de-rua-no-centro-de-ribeirao.html

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...