terça-feira, 16 de outubro de 2012

Monsenhor Juvenal Arduini morre em Uberaba, MG, aos 94 anos

Missa de corpo presente reuniu sacerdotes da Arquidiocese de Uberaba.

O Monsenhor Juvenal Arduini de Uberaba, no Triângulo Mineiro, morreu na madrugada desse domingo (14) por insuficiência respiratória e complicações de uma pneumonia e um acidente vascular cerebral. Ele tinha 94 anos, nasceu em Conquista e entrou para o seminário aos 13 anos. Foi professor universitário e cofundador de universidades de Uberaba. Ainda era membro fundador da Academia de Letras do Triângulo Mineiro. “Foi um amigo dos estudantes, o grande mestre, um farol que permanecia tremulando, clareando as estradas daqueles que lutam pela inclusão social, pela solidariedade. Um homem terno, um filósofo profundo, alguém que marcou profundamente o coração da vida da gente”, disso o médico Jorge Bichuetti.

O bispo Dom Paulo Mendes Peixoto presidiu a última missa em homenagem ao Monsenhor. Com a participação de todos os padres da arquidiocese muitos fiéis se emocionaram ao se despedir do sacerdote. “Foi uma pessoa que realmente marcou a história da Arquidiocese de Uberaba, principalmente pela sua dedicação, sacerdócio e sabedoria. Foi um homem com uma grande capacidade, um escritor de muitos livros na área de filosofia, de um conhecimento teológico muito grande”, contou o bispo.

Da catedral metropolitana o corpo seguiu em um carro do Corpo de Bombeiros até o cemitério São João Batista. O sepultamento às 17h30 foi acompanhado pela família e amigos que em pequenos discursos manifestaram o carinho e puderam dizer um último adeus. “Juvenal Arduini sempre abraçou os excluídos. Com coragem e ousadia proféticas ele não teve medo e denunciou aquilo que precisava ser denunciado. Juvenal queria uma igreja simples, acolhedora, como Jesus de Nazaré pensou”, finalizou o padre José Antônio Fontes.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...