quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Igreja Católica tem falta de padres e leigos para atender necessidades espirituais dos turistas

Verão em Portugal: descanso e diversão sem esquecer da missa .

A Igreja Católica confronta-se com falta de padres e leigos que acompanhem as necessidades espirituais dos turistas que frequentam as praias da Diocese de Leiria-Fátima durante as férias.

“As pessoas que passam aqui o verão mereciam mais atenção da nossa parte, mas não temos capacidade de resposta”, afirma o padre Joaquim Jesus João, responsável pastoral pela Praia de Pedrógão, 170 km a norte de Lisboa.

As oito igrejas de que é responsável absorvem o seu tempo e os leigos não manifestaram disponibilidade para assistir os turistas, explica o pároco de Coimbrão em declarações publicadas no site diocesano.

“Podia ser feito um trabalho mais cuidado durante o verão, caso encontrasse algum grupo com capacidade para o executar”, assinala o responsável, que na Quaresma e no final de maio, quando se encerra o mês dedicado à Virgem Maria, inclui a Praia de Pedrógão no roteiro das atividades apostólicas.

Na Praia de Paredes de Vitória, Paróquia de Pataias, o estabelecimento de uma presença católica também encalhou na falta de voluntários.

“Houve há algum tempo a tentativa de organizar, com um grupo de jovens, uma banca na praia com alguns livros de meditação e espiritualidade, que podiam ser emprestados a quem os desejasse ler no areal”, recorda o pároco, padre Virgílio Francisco.

Em Vieira de Leiria foi equacionada a possibilidade de “criar cartazes a sensibilizar para a espiritualidade, mas a ideia não passou à prática”, referiu o padre Sérgio Henriques, responsável pela paróquia onde se situa uma das mais concorridas praias da diocese.

O sacerdote diz que não sente da parte dos outros fiéis a “preocupação em fazer algo para os que vêm de fora”, atitude que não o impediu de aumentar o número de missas durante o verão para responder ao aumento da procura.

Além da eucaristia que celebra todos os sábados na igreja junto à praia, o responsável decidiu criar um novo horário, ao meio-dia de domingo.

“O templo tem capacidade para cerca de 150 pessoas e enche-se em todas as celebrações, mas é um número mínimo quando comparado com a enchente que marca estas paragens, sobretudo ao fim de semana”, conta.

A habitual missa dominical na Praia de Pedrógão é complementada com uma celebração ao sábado, enquanto que em Paredes de Vitória a igreja abre apenas entre junho e setembro.

A eucaristia realiza-se à custa da missa celebrada numa das cinco comunidades mais importantes da paróquia: em cada domingo há uma que fica sem missa e o pároco convida o grupo coral e os restantes fiéis a deslocarem-se a Paredes de Vitória.

As festas religiosas que ocorrem no verão também são ocasião para reunir paroquianos locais e turistas, como vai acontecer a 15 de agosto, feriado nacional alusivo à solenidade de Nossa Senhora da Assunção.

O programa prevê a realização da tradicional procissão entre Paredes de Vitória, onde decorrem as celebrações, e a igreja paroquial de Pataias, junto da qual foi montado o arraial.

De 17 a 19 de agosto é a vez de Vieira de Leiria acolher as festas em honra de São Pedro e de Nossa Senhora dos Navegantes.

“A missa campal, a procissão pelo areal e a bênção dos barcos são ocasiões em que se junta uma multidão de pessoas e em que há verdadeira celebração da fé com quem está por aqui de férias”, declarou o pároco. (RJM)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...