sábado, 14 de julho de 2012

O intrépido sacerdote

Acompanhe os destaques da vida de Dom Eugênio Sales.

Um dia o menino de Acari entrou numa igreja e descobriu que queria a vida religiosa. O sertanejo, nascido na pequena e pobre cidade do Seridó de nome Acari, percebeu logo que o mundo lhe traria grandes responsabilidades através de uma vida religiosa que o transformaria em celebridade. Sua saga iria muito além do Rio Grande do Norte e do Brasil, numa ascensão fulminante. A história de Dom Eugênio de Araújo Sales é uma preciosa contribuição à igreja católica brasileira, eivada de ações que ampliaram os rumos eclesiásticos e definiram os campos de atuação apostólico num período de imenso turbilhão político e social.

Arcebispo emérito do Rio de Janeiro, Dom Eugênio Sales morreu às 22h30 da segunda-feira, aos 91 anos na residência em que morava, no bairro de Sumaré, na capital carioca, vítima de uma parada cardíaca. Seu corpo foi velado na Catedral Metropolitana de São Sebastião, no Rio de Janeiro, com a realização de missas de corpo presente a cada duas horas. O cardeal será sepultado hoje às 15h na cripta da Catedral Metropolitana em local reservado aos túmulos dos sacerdotes. A cerimônia religiosa histórica terá a presença de autoridades públicas e religiosas do Brasil, além de representantes do Vaticano. Até o fechamento desta edição a Arquidiocese de Natal informou que o funeral não teria a presença de Dom Heitor Sales, irmão do arcebispo, que está em viagem à Suíça e que não conseguiu voo de volta ao Brasil.

O Arcebispo Metropolitano de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha, que realizou missa por Dom Eugênio ontem na Catedral de Natal, está no Rio de Janeiro para participar da cerimônia. Os governos do Rio Grande do Norte e do Rio de Janeiro decretaram luto oficial de três dias em seus estados.

O pensamento de Dom Eugênio Sales
Democracia: "Um sistema político, por mais válido que seja, como a democracia, não pode ser padrão a ser seguido em toda matéria religiosa. Caso contrário, cairíamos no absurdo de a verdade ser resultado de uma votação. Assim, o ensinamento que tivesse mesmo um só voto a menos, de verdadeiro transformar-se-ia em erro, pelo princípio básico da maioria" (Texto "Obediência às Leis de Deus", publicado por ele em 2009).

Direitos humanos para bandidos: "Por mais de uma vez bandidos armados pararam meu carro quando eu subia para o Sumaré, no Rio. Quando viram que eu estava no carro, mandaram seguir. É sempre um susto. Eles conhecem o carro e procuram esconder armas. Entendo o sofrimento deles, mas isso não justifica seus atos. Bandidos têm que ser tratados como bandidos, não como cidadãos. Bandido tem direitos humanos. Não tem direito de ser bandido, mas não pode ser injustiçado" (Entrevista à "Folha de S.Paulo", novembro de 2010).

Fé em Deus: "Nunca. Eu nunca tive dúvidas. E vivo contente."

Homossexualismo: "Sou inteiramente contrário ao aborto e à exaltação dos homossexuais. Casamento de homem com homem é um erro. Sou contra, mas sempre digo que é importante ter paciência com as pessoas. É uma aberração da natureza. Mas não se pode jogar pedra."

Imprensa: "O natural desejo de saber as últimas notícias pode se transformar em ânsia doentia, levando os fracos de caráter a revelar episódios sem um prévio exame de sua autenticidade."

Luta contra Ditadura Militar: "Eles estavam contra a lei aqui do Brasil, pela lei do país eu não podia agir. Eles estavam infringindo a legislação, mas como bispo eu tinha o dever."


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...